sábado, 3 de abril de 2010

Destino

"Ninguém me ama como te amo,
disse eu.
Ninguém me ama com vou te amar,
disse então.
Ninguém me ama com um dia te amei,
pensei.

Mas, então,
naquele instante,
naquele momento pagante,
num breve aceno,
aceno de olhar.
Conheci teus olhos
e teus olhos conheceram os meus.

Amo-te,
ama-me.
Te levo comigo,
me levas contigo.
Te quero,
me queres.
Te procuro,
me procuras.
Não te acho,
não me achas.

Mas, em que mundo estamos?
Um mundo que não ama, odeia.
Um mundo que não perdoa, condena.
Um mundo que não acaricia, esmurra.

Meu coração nem quer mais no peito ficar.
Quer sair e te procurar.
Mas, ainda tem esperanças,
de que em um instante,
um momento, um aceno,
eu possa de novo te encontrar."


escrito no dia 04-07-07, uma quarta-feira

2 comentários:

Luana Andrade disse...

Que melódico Jess!!! Intenso, célere. As palavras dispostas com uma maravilhosa harmonia. Eu adorei, sinceramente. Beijos. "Aceno de olhar", belo!

Tina disse...

é... eu tinha 14 anos!

skakska

depois disso tive minha primeira grande decepção amorosa ;x