quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Tem gente que...

... só gosta de uma coisa: SE APARECER!
E esquecem de que, para tudo, é necessário ter responsabilidades.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

"Sexo...

...vem dos outros,
E vai embora
Amor vem de nós,
E demora."
   
                                                                             Rita Lee

Eu penso, penso e não chego a conclusão nenhuma, isso é um pouco raro para mim. Não é que eu esteja me gabando, ou dizendo que sempre após um longo momento de meditação sei exactamente o que está acontecendo, só digo que dessa vez é diferente. Nós sempre nos demos muito bem, e continuamos assim, só que algo me diz que tem alguma coisa acontecendo. Às vezes parece que essa "coisa" vem de dentro de mim, como se eu a tivesse criado, um tipo de monstro que cresce e me domina, me faz imaginar e pensar coisas que não deveria. Outrora, penso que, de verdade, já não posso suportar a loucura deste mundo, e tenho medo de virar um deles.
Pode ser que ninguém entenda este texto, porque estou misturando os assuntos: meu namoro, meu eu interior, minha sociabilidade, ou falta dela. É que eu precisava desabafar, e encontrei um tempo nesses dias tão corridos, aproveito, adicionando mais um assunto, para pedir desculpas aos meu poucos leitores, por não ter escrito mais, como já disse, ando meio ocupada para fazer o que gosto.
Peço também, mil desculpas para a Giovanna Cobuccio, do Chicletts, por ter mudado meu layout, não consegui me acostumar com o outro...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Jornal tendencioso

Aniele entra correndo no banheiro do colégio, segurando um jornal, vai até a privada, senta, abre o jornal e lê. Parece que havia algo interessante nele. É quando Jéssica, Ana e Lílian entram, para retocarem a maquiagem.
-Quem tá aí? - Grita Aniele de dentro do box.
-É a gente, amiga! Só viemos lavar o rosto. Ta tudo bem ai com você? - Pergunta Jéssica, ligeiramente preocupada com a amiga.
-Ta sim... Viu gente, escuta aqui, eu to lendo o jornal que fala dos candidatos á presidência.
-Nossa, que legal, eu tirei meu título de eleitor esses dias. - Se interessa Ana.
-Mas conta pra gente saber sobre o que esse jornal esta falando. - Pede Lílian.
-Ah pessoal, ta falando aqui do currículo de vida dos candidatos. Fala aqui que o candidato Bija foi presidente da UNE, que a candidata Va Lluitar lutou com arma e tudo, até casou com terrorista e que a candidata Nó Là é analfabeta.
-Nossa! Mas como esse jornal sabe disso? Por acaso o jornalista viveu a vida inteira com essas pessoas pra poder colocar a vida delas num resumo de jornal?
-Ai, espera ai gente, eu já vou ai com vocês... vou só tirar um pedacinho do jornal aqui que eu vou usar.
Aniele arranca um pedaço do jornal, se limpa, dá descarga e sai.
-Segura o jornal aqui para mim, Ana, rapidinho.
Enquanto Aniele lava as mãos, Ana, lendo o jornal comenta com as amigas:
-Gente, olha aqui no jornal, o nome do candidato Bija está grifado, por que será que o jornal quis destacar o nome dele?
-Mas gente, não é só porque está no jornal que é verdade... nem tudo que aparece no jornal, na TV ou no rádio é verdade... não podemos acreditar em tudo que dizem também, não é? - Argumenta Lílian.
Jéssica, pegando o jornal da mão de Ana diz:
mas olha aqui, tá escrito, "o jornal que respeita você".
Ana, tirando bruscamente o jornal da mão de Jéssica resolve:
-Me dá isso aqui! Essa notícia não serve para nada! Eu vou buscar outras fontes, como a Internet, por exemplo, pra saber em quem votar!
Joga o jornal na privada e dá descarga.
-Ei pessoal, vamos para casa.

sábado, 7 de agosto de 2010

Corrupção

-Bom dia, está começando agora mais um Jornal da manhã. Estamos aqui hoje com uma figura super especial: o nosso prefeito que veio falar das 20 casas populares que estão sendo feitas lá no município Água da Pedra. Bom dia prefeito, gostaria que o começasse explicando quantas casas estão sendo planejadas para este projecto e qual vai ser o investimento.
-Bom, o projecto inicial visa a construção de 20 casas, e o dinheiro investido será a quantia de R$2mi de reais por mês.
-E o senhor tem ideia de quantas famílias serão beneficiadas  como será feita a distribuição dessas casas?
-A intenção do projecto é encaminhar as famílias que não possuem moradia e que apresentem um perfil carente num mutirão onde elas mesmas construirão suas casas.
-Muito interessante a iniciativa da prefeitura com essas moradias populares, um projecto modelo.
Neste momento a linha aberta para ligações do público toca, é um homem que estava almoçando e ouvindo a rádio.
-Ola, temos um ouvinte na escuta, qual tua pergunta?
-Bom dia senhor prefeito, sou morador aqui da cidade e fiquei sabendo dessa notícia das 20 casas populares que irão sair, e gostaria de saber se esses R$2mi vão só para a construção das casas ou para a compra do carro de vocês?
-Eu não estou entendendo este tom ofensivo que o senhor está usando para uma acção que só tende a beneficiar pessoas como você.
-Mas com R$2mi? Sendo que não vai ter gasto com mão de obra já que quem vai construir são os próprios moradores? Esta história está muito mal contada.
Alterado, o prefeito responde:
-Eu que não estou entendendo! Uma iniciativa destas visando os teus benefícios e ainda somos obrigados a aturar tamanha ingratidão e ofensa?
-E o povo que vai construir? Não vai ganhar dinheiro nenhum nisso?Vai trabalhar que nem escravo para quando terminar a casa não ter emprego para banca-la, é isso?
Após uma longa pausa, devido ao constrangimento, o prefeito responde:
-O senhor não está entendendo que o material de construção custa caro, obtê-lo não é fácil como parece.
-Mas R$2mi em 20 casas? Estão subestimando nossa inteligência! 20 casas! 20 casas é um vergonha para o tamanho da população necessitada!
E nisso o homem desliga o telefone violentamente. Nervosa, a apresentadora tenta disfarçar o clima tenso que ficou após a ligação, e chama correndo os comerciais, continuando uma conversa em off com o prefeito:
-Desculpa a baixaria, é por causa desses pobres ingratos que nossa cidade não evolui, uma pena isso.
Em casa, o casal continua a discussão:
-Mas R$2mi é muito dinheiro!
-Então, um trabalho desse não gastaria nenhum décimo disso, é muita sacanagem. Quer saber de uma coisa: eu vou acabar com essa falcatrua.
-Mas como?

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Leitora

Abri os olhos, tudo o que pude ver foi meu lustre novo, eu realmente não gostei dele, parecia bem maior e mais brilhante no catálogo, é a última vez que compro algo sem tê-lo visto pessoalmente, deveria ter ido eu mesma até Paris para trazê-lo. Me levantei, calcei minhas pantufas, estas também já estavam velhinhas, já havia mais de dois meses que eu as tinha. Fui até a varanda, o dia estava perfeito, diferente do dia e noite anteriores, em que choveu muito. O sol já brilhava alto, mas eu não me importei, não iria ao escritório hoje. Olhei em direção à caixa de correio e percebi que o jornal havia chegado. Pensei em gritar para a Cláudia, minha empregada, chamá-la de incompetente preguiçosa e mandar ir buscar logo meu jornal, mas me lembrei de que ela estava de folga, então eu mesma fui buscar, talvez me fizesse bem caminhar pela manhã, embora não estivesse com os sapatos apropriados. Ao ler o que dizia o Jornal Matinal não pude me conter e, em um momento de reflexão disse:
Como assim?
De cara uma notícia ruim!
O jornal não nos deixa contente,
que horror esse grave acidente!
Pelo piche deixado
o acidente foi provocado,
por falta de sinalização
causou-se enorme confusão.
Para os mortos tragam a lona,
e uma ambulância para o que está em coma.
Não é que eu só pense no meu umbigo,
mas ainda bem que não foi comigo!