domingo, 31 de março de 2013

Bom-dia, um beijo
e agora volto a dormir.

Bom-dia, um beijo
e agora começo a sorrir!

sábado, 30 de março de 2013

Bebida quente. Piscar os olhos com força. Torcer o nariz. Coçar o pescoço de irritação. Livros. Música. Piadas sem graça. Admirar tatuagens. Rua. Céu. Silêncio. Sorrisos. Pessoas desconhecidas. Caminhar. Vento. No inverno, me sentar ao sol. Dormir. Acordar sem despertador. E três espirros antes do café.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Eu trabalhava.

http://www.mundosimples.com.br/educacao-dicas-9-regras-para-crianca-timida.htm
E ela me olhava. Veio se achegando e eu, propositalmente, não disse nada para ver o que ia fazer. Vi que seu olhar se voltou, rapidamente, para o chocolate sobre a minha mesa. O abri, reparti ao meio e perguntei:

- Você quer, Raysa?
- Quero! - respondeu, com um sorriso.
- KI - TE - KA - TE. - Leu, no chocolate. - Kite-Kate?
- É Kit-Kat!
- Nunca tinha visto esse chocolate.
- Pega o papel dele ali para eu te mostrar uma coisa.

Ela pegou de dentro do lixo e me entregou. Desamassei e apontei onde ela deveria ler.

- FA - BRI - CA - DO - NA - RÚS - SI... Ah! Muito difícil!
- Mas agora só  faltava uma letra para você terminar!
- Tá. FA -BRI - CA - DO - NA - RÚS - SI - A - Terminando, me olhou interrogativamente.
- É feito na Rússia. - expliquei.
- Fabricado. Na fábrica?
- Sim.
- Mas existe fábrica? - Ela me perguntou, com um sorriso tão grande que mal lhe cabia no rosto.
- De chocolate? Claro que existe!
- Fábrica com rio de chocolate? - E agora seu rosto trazia tanta expectativa pelo meu sim, que não pude negá-lo.
- A maioria, na verdade, é bem sem graça - e procurei uma foto na internet para lhe mostrar: máquinas e pessoas de branco embalando chocolate. - mas, a do Willy Wonka é diferente.
- A dele tem rio e anõezinhos dançando! Eu vou lá ver, quando eu achar o papel.
- Vai me levar?

Ela riu gostosamente, como se eu fosse a pessoa mais boba do mundo. Deu mais uma mordida no chocolate. Olhou para os lados, pensou um pouco e disse:

- O que tem na pasta de dente?

terça-feira, 26 de março de 2013

Sentada, olhando o mar.

http://escritasobreatela.blogspot.com.br/2011_04_01_archive.html
E esperando que o Sol volte. Sinto o vento um tanto gelado bater em meu rosto, tenho na pele aquele arrepio que só o ar matutino é capaz de produzir, mas não me importo. O frio é bom.

Olho para baixo e o vejo, quase dormente, deitado no meu colo. Assim, nem parece o mesmo que pulava e dançava loucamente na noite passada. De repente, essa pessoa que mal conheço parece me mostrar tanta coisa. É como se eu visse nele muito mais agora, nesse estado de quietação. Quietude. A praia está tão silenciosa, apesar de cheia. Muita gente quer ver o Sol sair do mar, inclusive eu.

Inspiro profundamente aquela brisa salgada que me inebria. É tudo tão lindo.

- Demora assim mesmo? - me perguntou, se sentando ao meu lado.
- Essa é a melhor parte. - respondi, com meu melhor sorriso, afinal era pelo que eu esperara a viagem toda. - Você vai entrar no mar comigo?
- Com esse frio?
- Mas nem está frio!
- Você é louca.

Estava demorando para que ele percebesse. Olhei-o, tentando enxergar a vida inteira daquele desconhecido. Ele me olhou de volta como quem diz: "quem é você, menina?".

Me aproximei, lhe dei um beijo leve e demorado e caminhei em direção ao mar, pois o céu já se avermelhava.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Sabem aquele lá?

- Sim, que tem ele? - respondi, meio desinteressada, afinal, fofoca não é muito comigo.
- Foi expulso do colégio.
- Por quê? - me surpreendi, pois não conseguia imaginar algo que levasse tal pessoa a isso.
- Porque insistia em usar o banheiro feminino.

Me calei por um instante, no qual pensei e me lembrei de muita coisa, mas resolvi, ainda assim, expressar minha opinião.

- Sabe o que eu acho?
- Que ele precisa levar uns tapas! - disse ela, entre risos. Aquilo com certeza, não foi uma piada para mim. Tentei demonstrar que não tinha achado graça, sem deixar transbordar minha indignação pois, na hora, eu só conseguia pensar numa frase: "não é porque se gosta de alguém, que se concorda com tudo o que ela pensa."

Respirei fundo, me acalmei. Olhei para o meu porto seguro e comecei a defender que achava que não deveria existir isso de banheiro feminino e masculino. Uma pessoa concordou, outra discordou e entramos numa discussão saudável e com argumentos válidos, mas ela permaneceu quieta até o fim. O que foi bom, eu acho. Talvez ela tenha pensado no que falou.

quinta-feira, 21 de março de 2013

segunda-feira, 18 de março de 2013

http://meumundoeminhamochila.blogspot.com.br/2010_08_01_archive.html
Dos sonhos que tive, dois realizei:
do nascer-do-sol ver além
e escrever poesia no muro de alguém.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Distração

http://apartamento302.tumblr.com/page/2
Mãos. Cabelos. Toques. Cigarro. Olhar. Suspiro. Ninguém percebe e eu a admiro no seu nada, e tudo. Curvas. Batom. Sorriso sutil. Vento. Parece tudo tão involuntário e proposital ao mesmo tempo. Não é a mim que ela quer impressionar, ou chamar a atenção, mas ela me prende com força nessa leveza e obstinação. Charme. Discrição. Apodyopsis.

quarta-feira, 13 de março de 2013

5:30

Não sei porque coloquei o celular para despertar tão cedo. Acho que é porque sempre penso que vai surgir algum imprevisto e precisarei de mais tempo. É só minha mania de planejamento. Achei que estaria morrendo de sono nesse horário, mas estava bem desperta. Logo que me sentei na cama percebi o quão escuro o céu ainda estava. Chuva. Mesmo assim me levantei. Verifiquei a caixa de entrada para ver se tinha algum SMS não respondido, pois tenho a mania de dormir conversando com alguém. Nada.

Primeiro pensamento do dia: Vou estagiar de madrugada agora.

Fui ao banheiro. Escovei os dentes. Pensei na vida. Cada um faz o que quer no banheiro, eu penso na vida. Tive a impressão de ouvir passos pela casa, talvez alguém com insônia ou tendo que pegar o ônibus mais cedo. Voltei para o meu quarto. Coloquei Blur para tocar. Sempre acho que as pessoas pensam que só ouço os singles de cada álbum, como se precisasse me tornar fã de cada banda que curto. Me troquei. Fui até a cozinha procurar por algo que pudesse comer.

- Já acordada, amiga? - Se outra pessoa me chamasse de amiga, soaria falso e ridículo, mas eu gosto da Dailu.
- Estou sem sono. - Menti

Comi um pão de ontem com qualquer coisa, o que me pareceu delicioso. Voltei para o quarto,  peguei minhas coisas e olhei para o relógio, a essas horas a música já tinha mudado e a Pitty falava que um dia "teria que deixá-lo ir". Me lembrei de dois anos atrás e do que essa música significava para mim. Eram 6:03. Mesmo de tênis, apaguei as luzes e me deitei novamente. Desliguei a música e liguei o despertador para as 6:30, pois só precisaria estar no Colégio às 7 e uns 15 minutos de caminhada seriam o suficiente. Fecho os olhos. Despertador. 6:30. Olho pela janela e ainda chove muito. Acho que não vou para o estágio hoje, só não posso me esquecer de me informar sobre as faltas, já não fui ontem. Ajusto o despertador para as 7:30, posto que teria que trabalhar às 8. Fecho os olhos. Mensagem.

Bom dia, linda.

O que seria de mim sem essas pequenas atenções? Acho que morreria de tédio. Respondi ao Luan e começamos a conversar sobre um filme qualquer, o que fez o tempo passar. Despertador. 7:30. Me levantei, coloquei um chiclete na boca e saí do quarto. Bati na porta do quarto dela.

- Louys, você vai levantar? - A Dailu havia me pedido para acordá-la.
- Não, vou ficar dormindo.
- OK. Então tchau.

Saí para mais um dia então, mais tarde do que deveria, mas mais descansada e ainda meio sonolenta. Amanhã não posso faltar ao estágio. Olho para o céu. Está nublado, como eu gosto.

Meu tipo favorito de dia: cinza, preguiçoso, pedindo café e livro.

E  eu indo trabalhar.

segunda-feira, 11 de março de 2013

Enquanto o tempo passa

Você me olha com esses olhos míopes. Estou com tanto sono. Eu, que costumo querer dormir, quero ficar. Você está tão diferente de quando te conheci, me lembro tão pouco do dia, porque você não era exatamente a pessoa que me chamava mais a atenção, até mesmo porque eu não queria que ninguém me chamasse a atenção. Queria só ficar ali sentada, talvez dar umas risadas, e aprender como se faz para não repetir tudo de errado.

Eu olhava ao redor, mas mal me lembro de você, confesso. Me lembro dele passar, me lembro dela chegar, mas não me lembro de você. Talvez já estivesse lá. Talvez sempre tenha estado por aí. Eu não sou o tipo de pessoa que faz boas escolhas, mas também não diria que faço escolhas ruins. Escolhas são simplesmente escolhas, implicam em muita coisa, é verdade, mas isso não muda o fato de que precisam ser feitas.

Eu tentei não fazer nada, mas o fazer já é parte de mim. Então, no fim ou no começo - apesar de se parecer mais com um meio - você está aqui, me olhando com seus olhos míopes enquanto eu transcendo entre o dormente e o acordado e sorrio bobamente. Estou com tanto sono. Já é tarde - ou cedo - e ir embora não é mais uma opção. Então a gente só vai ficando, eu indo e vindo, e ele me olhando com esses olhos míopes.

domingo, 10 de março de 2013

Algo como uma entrelinha

Ou várias. Cabe tanto, ou não tem nada. É muito relativo. Pode ser eu, você ou ele. Pode ser que sim ou não. Posso ter realmente guardado todos os meus segredos aqui, em apenas uma entrelinha, numa frase mal-dita ou num poema impensado. Ou, quem sabe, eu só tenha tido essa ideia agora.

sexta-feira, 8 de março de 2013

"Porque a gente as vezes pensa demais...


...Se apega a algumas coisas que são tão banais
Deixa de viver o melhor da vida
Não vou deixar nenhum momento pra trás

Parei de pensar, comecei a sentir
Tudo se encaixou no lugar"
Diego Ferrero/Leandro Rocha

segunda-feira, 4 de março de 2013

Eu ia falar de algo triste


Mas, de repente, meu dia ficou tão bom que mudei de ideia. Não vale a pena remoer o que te faz mal. Existe tanta gente boa, tanta coisa boa, tanto ar, tanto lugar, tanta vida que o te destrói pode ficar de lado um pouco. Não que eu queira dormir e não ver mais nada. Mas, só por este momento quero pensar que ser feliz é a prioridade. E você, de quem eu ia falar de uma forma triste, espero realmente que também se sinta assim.

Ouvindo Good day, Sunshine - The Beatles