sexta-feira, 30 de agosto de 2013


E, para mim
um pouco mais da vergonha que sinto
cada vez que dou mais um passo
ouvindo ao fundo o lamurio
de quem só queria um olhar.

Um copo de água gelada
para curar minha ressaca
de calor.
Mero acaso,
brincadeira do destino.
Será por isso que não nasci menino?

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Eu, navio
eu, pirata
eu, maluco
eu, primata.
Bom dia, mais um dia!
Bom dia, poetas do passado
que me mandaram um aceno
para que fosse viver do pecado.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Sorteio nº 1! [ENCERRADO]

[SORTEIO ENCERRADO]

Ganhador aqui!

Depois de quatro anos, um mês e quatro dias de existência do Caramelo de Limão, farei seu primeiro sorteio, que será do seguinte livro:



É o livro Ressurreição Poética, do Danilo Fernando de Oliveira, do blog, Oásis, que disponibilizou dois exemplares para o blog. Um é meu, é claro! Devorei em uma só noite e a resenha vocês podem conferir aqui.

E o outro exemplar será sorteado no dia 27 de setembro via Sorteador. O ganhador terá uma semana para responder o contato, caso contrário será realizado um novo sorteio.

Para participar é simples, basta seguir as seguintes regras:

1) Ser seguidor público do blog Caramelo de Limão;
2) Ser seguidor público do blog Oásis;
3) Ter endereço de entrega no Brasil;
4) Deixar um comentário nesta postagem com o seguinte modelo:

número do comentário (o primeiro é 1, o segundo 2, o terceiro 3 etc...)
seu nome
seu nome de seguidor
e-mail válido (através do qual entrarei em contato)

Mas, para quem não se satisfaz com apenas uma participação, pode ter até duas chances extras!

1ª) Curtir a página do blog Caramelo de Limão no Facebook;
2ª) Compartilhar este post em alguma rede social.

Para cada chance extra, pode-se fazer mais uma inscrição, comentando novamente - com outro número - e colocando ao final do comentário o link do post compartilhado na rede social ou o link do perfil com o qual curtiu a página no Facebook.

ATENÇÃO! Serão, no máximo, três inscrições por pessoa, ou seja, você pode compartilhar o quanto quiser em qualquer rede social mas pode efetuar apenas uma inscrição extra por isso.

Então, é isso! Daqui um mês o sorteio será realizado e divulgado aqui no blog e o contato feito com o ganhador. Boa sorte a todos!

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Resenha: Ressurreição poética - Danilo Fernando de Oliveira

Título: Ressurreição poética
Autor: Danilo Fernando de Oliveira
Páginas: 104
Sinopse: Não há uma ordem cronológica, neste livro, com relação aos poemas que nele se apresentam, também não há uma ordem específica ou preordenada que os possa definir como um ciclo, ou queira apontar uma continuidade entre um e outro, mesmo estando ligados entre si, ainda que indiretamente. O "poeta" apresenta em seus poemas a mais pura manifestação da poesia, ainda com a não observação de moldes ou formas, trata de assuntos pessoais que se expandem a questionar os leitores. Percebe-se a profunda observação e reflexão do autor, às vezes triste e ao mesmo tempo feliz e cheio de esperanças. O amor e os amores estão sempre presentes, palavras são ditas diretamente a uma pessoa desconhecida que já foi conhecida pelo poeta várias vezes; a pessoa que se ama é conhecida e desconhecida. Não há muito o que se dizer através de palavras sobre essa reunião de palavras escritas por um menino dos séculos XX e XXI, um menino que se atrapalha com as palavras, mas através delas tenta dizer a que e porque veio.

"Os poetas morrem cedo, morrem de amor e de medo"

Todos temos amores pela vida. Amamos ainda que não assumamos tal. Amores infantis, adolescentes, amores amadurecidos ou não. Todos amam, mas poucos como os poetas.

O livro trás a reunião de diversos escritos de um jovem poeta, seus amores, confusões e desejos, os quais, carregados de sentimentos, contam a sua história.

Não há o que dizer, basta ler e sentir.

Há seis meses

17h56, 25 ago - Seis meses atrás, neste horário, eu ainda não sabia o que iria acontecer mais tarde.

18h12, 25 ago - Seis meses atrás eu só queria um pouco de paz para a minha alma, um dos dias mais longos da minha vida... E tão importante...

23h47, 25 ago - E a seis meses atrás, neste horário, estávamos tendo uma conversa muito séria e eu achei que seria a última.

23h51, 25 ago - Nesta hora já estávamos em paz, falando sobre coisas boas que já nem me lembro mais tantas eram.

1h33, 26 ago - A seis meses atrás, mais ou menos numa hora dessas dávamos nosso primeiro beijo.

5h06, 26 ago - A seis meses atrás numa hora dessas, nós dormíamos juntos num colchão no chão do meu quarto. E choveu.

5h27, 26 ago - A seis meses atrás eu vi pela primeira vez você com o rosto nu repousado no travesseiro, dormindo e eu olhando, tentando entender a vontade que eu tinha de te beijar de novo...

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Enleio

Por que, às vezes, o beijo que a gente beija numa boca que já beijou parece o primeiro beijo beijado?

domingo, 11 de agosto de 2013

Perdi a conta.

Perdi a conta dos projetos que comecei. Nem sei mais se sou capaz de terminá-los. Talvez seja por desmotivação ou só preguiça mesmo. Quem sabe eu seja assim: só de pensar. Fantasiar é muito fácil, criar um mundo que dê certo. Pois é, preciso de alguém que pegue no meu pé!

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Eu acreditava em amor a primeira vista.

Assim, no passado. Eu sei que é uma coisa bonita a se acreditar mas me parece meio vazio agora. Acredito no amor aos pouquinhos, aquele que vem devagar e aumenta a cada detalhe. Não dá para dizer exatamente quando chegou, primeiro vem a vaga ideia de que talvez se ame, e ela vai crescendo em si até virar certeza. Não tem data, horário, lugar. Não é amor planejado, amor marcado, amor de hora certa. É só uma coisa que vem sem ser chamada. E agrada.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Não pense que eu sou louco.

Quanto vale esse sorriso, menina
que 'cê deu agora há pouco?

Não tem ouro nem tem prata, menina.
Diz que eu dou tudo em dobro.

Vou andando pro seu lado, menina.
Mas não pense que eu sou louco.

É só que esse sorriso,
sorriso de farol,
sabe bem guiar,
sabe me guiar.

A vida é uma bola.


Eu estava cansado de ser bajulado,
de ser humilhado,
de ser engraçado,
de ser enganado...

Eu aprendi

que a vida é uma bola,
que o mundo não rola,
que o dia enrola,
e eu fico de fora...

E estou aqui

falando com rima,
dobrando a esquina,
bancando a menina,
é assim que termina!

Quem sabe um fim!

Eudemonismo

E no meio de toda a felicidade me bate uma tristeza indescritível e de origem desconhecida. Talvez, de tanto gostar do simples eu só me torne mais e mais complexa. Complexa demais para mim.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Opostos

Coulomb que me desculpe, os opostos até podem se atrair, mas quem disse que atração é o suficiente?

Tente conviver com alguém completamente diferente de você e não só diferente como oposto. Pensamentos opostos, gostos opostos, vontades opostas, ideias opostas! A eterna discordância se torna conflito e cansa.

Trabalho, faculdade, café-da-manhã, almoço e jantar. Se a rotina é inevitável por que não pode ser agradável?

Me delicio com cada discussão sobre um livro ou filme, cada café compartilhado e passeio planejado. O bom-dia, o boa-noite e a desobrigação destes. O sorriso pela manhã com a cara sonolenta. O "só mais um pouquinho" e a correria que vem depois.

A disposição mais que a oposição. Até porque por mais parecido que se seja ninguém é igual. Às vezes, todo mundo parece mesmo um oposto.