quinta-feira, 3 de julho de 2014

Fumaça

Aos poucos entra por debaixo da porta enquanto eu a encaro. Relaxo. Em poucos minutos tudo acabará. Ela não sabia o quanto era bom quando todos morriam. Quando morriam sozinhos eu não precisava fazer nada. Relaxe, porra! Agora é o fim.

Nenhum comentário: