terça-feira, 25 de setembro de 2012

E aqui...


...estou eu de novo, como quem nada mais tem a fazer. Setembro passou tão rápido que nem tive olhos para ver. Ainda me pergunto sobre as escolhas que faço, e me surpreendo com minhas respostas. Deixar. Deixar e estar. Ficar. Ir e vir. Parece que já foi tudo feito tantas vezes. E que o tempo passou tão rápido que eu queria poder pará-lo um pouco. Não. Não no agora. Do agora não quero mais do que já tenho. Quero mais dos dias que são só meus. Quero mais de você. Pode parecer minha culpa, e talvez seja por querer tanto de tudo, e eu sei, não entendo mas sei, que ainda vou ter. E por isso não paro. Vou e volto quanto for necessário. Te tenho e deixo sem deixar. E quero, quero e insisto no querer. Não me arrependo da gula e espero. Porque a calma ainda pode ser minha virtude. Assim que eu a recuperar.

Nenhum comentário: