sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Jactância vazia


Perdido na ganancia do seu nada. Me são horríssonas suas palavras. É evidente que lhe escorrem pelas faces aquilo que lhe destrói sem que se perceba. Tanto o que entra quando o que sai da boca são sua ruína. O dinheiro não lhe satisfaz. O prazer não lhe satisfaz. Está vazio de si e do mundo. Como um Gray que destrói sem perceber. As aparências não mostram tudo. E o seu retrato, escondido a sete chaves pode nunca ser encontrado, mas existe.

Nenhum comentário: