domingo, 17 de julho de 2011

É diferente


Do que me disseram quando eu era criança
(quando eu ainda sabia de tudo)
e queria saber como era
(pobre de mim!)
ser grande, menina crescida.
Mal sabia eu que a graça maior
era nunca mudar
(nem transmutar).
Mas eu era
(e sou ainda)
uma boba.
Querendo ser o que não pode,
e acabando sendo o que não é.
Ser adulto é muito chato!
Sério, terno e gravata.
Termos e falas decoradas.
Comer comida sem graça.
Digo, repito e redigo:
vou fugir para a Terra do Nunca!

5 comentários:

Jéssica Marques disse...

Sim! Eu sei que este texto tá HORRÍVEL

Alex kelven disse...

tbm acho. Bora procura o peter pan.
num ta horrivel não amor ta muito bom, e digo mais, cada dia escreve melhor.

Jéssica Marques disse...

Mas eu sequer consegui rimar (sei que existe poesia sem, mas não gosto de fazer)
Simplesmente cuspi minhas ideias

Desiree Bueno Tibúrcio disse...

HORRÍVEL NA ONDE?
Você conseguiu dar forma para a poesia e isso é dificílimo :D
E as vezes, ideias cuspidas se expressam melhor do que rimas bem feitas ^^
Bom, eu gostei do texto, e não é puxa-saquismo (:




Beijinhos Jéssica! Em breve nos veremos novamente ^^

Jéssica Marques disse...

Ahhhh! Muito obrigada, meu amores *--*