quinta-feira, 23 de maio de 2013

Ficar quieta e não desobedecer a pessoa adulta.

São 11:45 e Sara sai da escola. Estranha não ver, de cara, Tia Felícia que sempre a espera no portão, sombrinha aberta e posicionada sobre a cabeça para protegê-las do Sol.

- Sara! - Era Ana, uma vizinha do prédio. - Tua Tia me pediu para levá-la para casa hoje, tudo bem?

A garota apenas gesticulou positivamente e acompanhou a quase desconhecida, afinal já estava mais do que acostumada a ter que ficar com outras pessoas. Quando morava ainda com a mãe, esta vivia saindo à noite, às vezes durante o dia também, dizendo que ia trabalhar. Sara só tinha que ficar quieta e não desobedecer a pessoa adulta que iria ficar vendo TV na sala.

Chegando ao prédio, Dona Ana fez questão de subir com a menina até o andar onde esta vivia, mal sabia ela que Sara podia muito bem se virar sozinha, mas a garota nada disse, seguiu exatamente o protocolo de ser cuidada por estranhos: ficar quieta e obedecer.

Ao entrar no apartamento, percebeu logo que havia algo de estranho, diferente. Tia Felícia estava sentada no sofá, tão ereta quanto podia, no colo, um pires e uma xícara com café que esfriava. A forma como os dois e alvos sofás da pequena sala estavam dispostos, um de frente para o outro, não permitiu que a garota percebe-se instantaneamente quem era  o homem para o qual a tia lançava olhares nervosos, intercalados pelos que se dirigiam a Sara.

Foi quando ele percebeu e se virou, sem se levantar ou se mexer muito, trazendo nos lábios o conhecido sorriso de malícia:

- Oi, filha!

Texto e personagens criados para "O Maior Prédio do Mundo". Tema: "Um homem congelado revive."

5 comentários:

Eilan disse...

:o

aguardando os próximos capítulos...

bjos,

eilan

borderline-girl.blogspot.com

Pedro Henrique disse...

Conhecendo um pouquinho da personagem pelos últimos textos, posso dizer que espero qualquer tipo de reação da pequena Sara! *----*

Acabar o texto no clímax é sacanagem, sabia? Haha >=(

Aguardarei a continuação!

PedrodeAmolar

Jéssica Marques disse...

Minha intenção era continuar, mas achei tão digno esse final *--*

DANILO + disse...

Essa de "ficar quieto e obedecer" é o mantra das relações socias estabelecidas. A burrocracia estabelecida que tanto tem podado o progresso. Importante e profunda reflexão sobre essa de não poder questionar e se deixar levar. Quanto ao tema da supresa, que baque o pai aparecer. De fato a reação da pequena Sara pode ser qualquer uma, uma aparecimento tão inesperado e surpreendente para quebrar a monotônia. Também aguardo a continuação. No entanto foi um bom final, esse que deixa expectativas no ar.

Jéssica Marques disse...

Ah! As expectativas... Não sei dizer se é bom senti-las.