segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Independência ou morte!


7 de Setembro, esse título... Vocês devem ter pensado que eu vou falar sobre a independência do Brasil. Estão REDONDAMENTE enganados!
Vou falar sobre uma coisa que nos interessa um pouco mais: nossa independência!
Isso mesmo, quantos de vocês já não quiseram se sentir "donos do próprio nariz"?
Eu quero, quero poder eu mesma saber o que faço com meu dinheiro, meu tempo, minha vida... E acho que já tenho mais do que capacidade para isso, só quem ainda não sabe são meus pais, eles ainda insistem em pensar que sou uma criança. Poxa! Eu tenho 16 anos, a idade que minha mãe tinha quando se casou.
Não que eu esteja pensando em me casar agora, eu só queria poder mandar um pouco mais em mim, coisa que ela COM CERTEZA fazia nessa idade.
AH! Sobre o título, não estou ameaçando me matar: tomar veneno, me atirar no Ghandis ou num poço com uma pedra no pescoço (excesso de mídia). Só é uma maneira de dizer, pedir atenção, exigir meus DIREITOS, minha liberdade.
Mas me diga: "Você se considera responsável por si mesmo?"

6 comentários:

Cabeça de Abóbora disse...

neeem um pouco.
ainda quero aproveitar o lado infância da minha vida, até ter que enfrentar o mundo adulto

Jéssica Marques disse...

É.. Pode até ser.. Mas eu acho que ainda sou e eternamente vou ser uma criança, e nisso me espelho no meu pai, que é uma perfeita criança! Isso não muda naada

Thaís C. disse...

Eu me considero responsável por mim mesma em certos aspectos. Mas sinceramente, essa total independência me assusta.

Clara disse...

Pois é. Aí está o ponto menos gostoso: E as responsabilidades? Será que você está preparada para elas? Acho que 16 anos ainda é (pra mim pelo menos foi), dá pra aproveitar mais um pouco a mordomia do lar. Uma hora ou outra a gente tem que sair do ninho... A pressa é inimiga da perfeição, sabia? ^^

Tina disse...

è.. Mas não digo uma responsabilidade completa, sobre tudo! Digo, ser um pouco solta p. podeer ir com o tempo aprendendo a se viraar..

Jana Barreto disse...

Bom, uma comparação que não deu muito certo. Se sua mãe casou aos 16 anos, isso foi a uma geração atrás, as coisas mudam muito... E, ao meu ver, ela ter casado aso 16 não foi sinal de independencia e sim dependencia total. No lugar de viver a vida, aproveitar a adolescencia ela ia ter que ganhar outras responsabilidades mais pesadas, cuidar da casa, marido, filhos... isso tudo é muita coisa!