domingo, 8 de novembro de 2009

De olhos bem fechados


Conta a lenda que do colo branco e nu de Teresa nasciam flores multi coloridas. Alguns se perguntavam se seria magia, outros se seria reação espontânea de uma paixão escondida. A despeito da curiosidade, crescia o mistério. Inútil negar, ainda que de olhos bem fechados o aroma das flores...
Dessa lenda, alguns se perguntavam também se isso não poderia ser uma espécie de maldição velada. Porque, por mais que seja inegável o perfume das flores, nada se compara ao colo nu de uma mulher.
Reza também a lenda que Teresa seria a própria flor, que o perfume exalava era dela.
De olhos bem fechados escondia de si própria a paixão que dela fazia brotar as flores.
Deixou as flores na mesa. Onde estaria aquele vaso? Vasculhou portas, gavetas e armários como alguém que busca o mapa de secreto de um tesouro perdido.
Decididamente não haveria vasos para tantas flores. Não haveria colo para tantas flores. Não haveria Teresa para tantos amores.
E, de olhos bem fechados,com um quase sorriso, Teresa sonhava... sonhava...
Sonhava com o dia em que o dono e merecedor de tantas flores chegasse...
Ela não era a Teresa de tantos amores, era a Teresa do maior e mais belo amor!

Texto escrito por: sueli aduan, Daniela Paulinelli, Leonardo Delarete Pimenta, Katia Mota e Tina.

5 comentários:

betina disse...

muito lindo o texto, amei :D

' Josi Keller disse...

Discordo menina .
Nós a sentimos sim ..
Quando realmente notamos o vento no rosto , o valor de um sorriso , a verdade de uma lagrima ..
A felicidade vem de varias formas
Estar bem consigo mesma , e ter um sorriso verdadeiro , é uma amostra de algo !
Otima semana Flor

Tina disse...

Você deve estar falando de outro texto, o "Depois da felicidade vem o quê?"

:)

dana paulinelli disse...

Sua escrita é vaporosa, Tina!
Foi um prazer participar deste conto.
Abraço.

Tina disse...

Ah/! Muito obrigaada